top of page
  • Foto do escritor

Como funciona o Content ID do YouTube?


Se você já subiu conteúdos musicais no YouTube, provavelmente já deve ter tido contato com o Content ID, um sistema de impressão digital usado para identificar e gerenciar conteúdos protegidos por direitos dentro da plataforma. Saiba mais sobre seu funcionamento:

Desenvolvido pelo Google e implementado originalmente em 2007, o sistema Content ID cria arquivos de identificação para materiais protegidos por direitos autorais, fonográficos e audiovisuais e os armazena em um banco de dados próprio. Hoje, quando um vídeo é carregado, o material passa por uma verificação automática junto a esses arquivos e, caso uma correspondência seja encontrada, o material será sinalizado como utilizando um conteúdo com direitos reservados de um terceiro.

No que diz respeito à parte musical, esse terceiro geralmente corresponderá a distribuidoras e gravadoras, que enviam seus fonogramas para identificação automática em toda a plataforma, além de editoras e sociedades de autor, que enviam arquivos de base para que haja a identificação da melodia (melody match) e de outros elementos da obra.

Uma vez identificado um uso, esses responsáveis podem optar por monetizá-lo, bloqueá-lo ou apenas rastreá-lo. No caso da iSound, a ação automática é a de monetização, que é repassada aos distribuídos de acordo com o estabelecido em contrato. Portanto, a cada uso de uma gravação distribuída pela empresa em um canal passível de monetização – ou seja, que tenha mais de mil seguidores e 4 mil horas assistidas nos últimos 12 meses -, a iSound reivindicará e intermediará essa arrecadação para o artista ou o selo. Isso inclui o canal do próprio artista no YouTube.

No entanto, caso você detenha os direitos de uma gravação usada em um vídeo que deva ser bloqueado, rastreado ou mesmo ter sua reivindicação removida, fale conosco pelo contato@isound.digital.

Cada um desses entes (distribuidoras, gravadoras, editoras, sociedades) poderá reivindicar direitos sobre o fonograma ou a obra apenas no território que representa, de modo que é possível estabelecer ações diferentes de acordo com o país, caso assim os responsáveis sobre o conteúdo decidam. Por exemplo, determinado conteúdo pode ser definido como monetizável apenas no Brasil, bloqueado na Europa e apenas rastreado no restante do mundo, especialmente caso o detentor tenha uma estratégia para isso.

Se seu vídeo tiver sido identificado por um terceiro que não esteja ligado à iSound ou a outra empresa com que você trabalha, você deve abrir uma disputa dentro da plataforma.

Essa ampla varredura automática feita pela inteligência artificial do Google acontece desde 2018 devido a processos enfrentados pelo YouTube no passado. Por exemplo, em 2008, o YouTube foi processado pela Viacom (empresa de mídia dona de estúdios de cinema como Paramount e DreamWorks, além de canais de TV como MTV, VH1 e Nickelodeon) exigindo US$ 1 bilhão em razão de conteúdos da empresa subidos na plataforma sem autorização. Em 2014, as duas partes chegaram a um acordo sigiloso antes de um julgamento.

Leia também:

A iSound é a maior distribuidora de música independente do país, com mais de 5 mil artistas em catálogo. Desde 2016, disponibilizamos álbuns, EPs e singles em lojas digitais do Brasil e do mundo. Para distribuir sua música conosco, acesse: https://www.isound.digital/ Procurando mais? Confira todo o nosso Guia do Artista aqui.

1 visualização0 comentário

Comments


  • Instagram
  • Facebook
  • X
  • LinkedIn
  • Youtube

Institucional

Soluções

Feito com ♫ e com pela iSound

Copyright © 2024 iSound®

bottom of page